Architecture as a translation of music

Capa da publicação Pamphlet Architecture, nº16, Archtecture as a translation of music, 1994. (Fonte: foto da autora)
Capa da publicação Pamphlet Architecture, nº16, Archtecture as a translation of music, 1994. (Fonte: amazon.com)

A série de publicações Pamphlet Architecture foi iniciada em 1977 pelos arquitetos William Stout e Steven Holl como um veículo para apresentar críticas, questões e pontos de vista sobre arquitetura. O 16º volume desta série, editado por Elizabeth Martin e intitulado Architecture as a translation of music (1994), traz 9 projetos exemplares sob o ponto de vista arquitetônico e musical, já que foram escolhidos por trabalharem ao mesmo tempo com os olhos e com os ouvidos das pessoas, usando a contribuição das duas áreas para obter o resultado final.

Os projetos foram classificadas em três diferentes categorias: os projetos baseados na acústica, os projetos baseados na funcionalidade dos instrumentos musicais e os projetos onde ocorre a composição por relação de camadas. Todos os profissionais citados no livro exploram o fator arquitetura + música, rompendo qualquer barreira que possa existir entre essas duas áreas. Isso ocorre porque, conforme Martin descreve, a arquitetura é a mais universal e inclusiva de todas as habilidades humanas e aprender arquitetura é uma integração criativa do fazer e do saber, ao resolver os problemas envolvidos.

Enquanto nos projetos baseados pela acústica, o som e a reação que ele provoca nas pessoas é o ator principal e nos projetos baseados na funcionalidade dos instrumentos musicais é a manipulação do som e dos ambientes que interessa, nos projetos baseados pela composição em camadas a música é vista como partido, oportunidade e conceito.

Com relação a essa última categoria, temos projetos nos quais o arquiteto seleciona uma peça musical que posteriormente fará parte do processo de projeto. São arquitetos que se basearam em uma música para estabelecer principalmente vínculos e analogias formais entre a música e elementos arquitetônicos, geradas por análises diversas.

Referencia Bibliográfica: MARTIN, Elizabeth. Architecture as a translation of music. Pamphlet architecture 16. New York: Princeton Architectural Press, 1994.

Publicado por

Agnes Del Comune

Architect, interested in arts and the creative process, along with music.

2 comentários em “Architecture as a translation of music”

  1. Ola Agnes, vou fazer uma monografia sobre Arquitetura e Musica, gostaria muito de saber onde posso conseguir este livro, voce pode me ajudar

    1. Olá Bruna, que legal que vai seguir esse tema!
      Este livro eu comprei na Livraria Cultura em 2010, mas verifiquei que atualmente ele está indisponível.
      Você consegue achar ele na Amazon americana (http://www.amazon.com/gp/offer-listing/1568980124/ref=dp_olp_all_mbc?ie=UTF8&condition=all), se estiver disposta a encomendar de fora.
      Eu pretendo colocar no blog a bibliografia que estou utilizando no trabalho. Tem livros fantásticos que posso te indicar e se tiver interesse te encaminho por email.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s