Projeto de escola de música e dança inspirado na escrita musical

O projeto para uma escola de dança e música nos entornos de Jerusalém do escritório israelense Neuman Hayner Architects em parceria com Gal Karni, reflete propositalmente em sua composição formal as linhas de uma pauta com suas notas, símbolos típicos da escrita musical.

Seria interessante entender o porque dos arquitetos decidirem por esta composição formal e investigar os processos que levaram ao desenvolvimento volumétrico do edifício. Infelizmente ainda não encontrei nada a respeito em minhas pesquisas pela internet. Se encontrar atualizo aqui, mas por enquanto deixo algumas imagens do projeto.

d7a1d79bd79ed7aa-d7a4d7a8d795d799d799d7a7d798-d7a6d791d7a2d795d7a0d799d7aa1

mvs_ex_c2

Fonte da notícia: http://www.gazetadopovo.com.br/haus/arquitetura/conheca-o-projeto-dessa-escola-de-musica-e-danca-inspirado-em-partituras/

Save

Save

ARCHIMUSIC

“Música e arquitetura estão intimamente ligadas por uma conexão cósmica. Ambas são geradas por um código subjacente, uma ordem revelada pela matemática e pela geometria. […] nessas imagens a arquitetura e a música compartilham uma clara genealogia cultural. A cor e as diferentes nuances da música moldam as formas e volumes. A leitura horizontal oferece algumas linhas musicais, ao passo que a leitura vertical revela tanto a harmonia e a dissonância. Um edifício como uma progressão harmônica seguindo o movimento dos acordes. Um ritmo de sólidos e vazios que reproduz as sequências de notas e silêncio.”

No projeto Archimusic, Federico Babina apresenta uma série de ilustrações que são representações arquitetônicas de 27 músicas popularmente conhecidas. Babina é arquiteto e designer gráfico italiano e realiza diversas ilustrações com temas relacionados com a arquitetura, como esta sequência de desenhos que remetem a música e seus intérpretes. Seus desenhos se constituem por variações de técnicas, cores e formas. Confira:

Veja os desenhos em mais detalhes aqui.

Poema ‘A Música e a Arquitetura’, por Ciro Andrade

Segue este poema do arquiteto Ciro Andrade, para nos inspirar e fazer refletir sobre essa relação entre a música e a arquitetura.

Musica x Arquitetura

Vocês concordam com o posicionamento do autor, de que o arquiteto que possui uma boa noção de música poderia ver a arquitetura de forma diferenciada e que tanto a arquitetura quanto a música expressam emoções e sensações? Pensar sobre essas questões pode ser um bom início para desenvolver um trabalho acadêmico sobre a arquitetura e a música.

Poema disponível aqui.

Dissertações e teses portuguesas sobre arquitetura e música

Ao fazer uma busca rápida na internet, me deparei com o blog Arquitectura e Música/ Música e Arquitectura, de Maria do Céu Aguiar da Mota.

Maria do Céu é portuguesa, licenciada em Ensino de Música pela Universidade de Aveiro e, assim como eu, ela fez um blog para tratar dos assuntos referentes a arquitetura e a música por conta de sua pesquisa de mestrado em História da Arte Contemporânea pela Universidade Nova de Lisboa.

Pelo que pude perceber, o blog deixou de ser atualizado em 2014, mas vale a pena conferir os posts que tem por lá. Encontrei algumas reflexões interessantes e tem também indicações de outros trabalhos acadêmicos sobre o tema, como os trabalhos de Clara Germana Gonçalves, Contributo para uma visão integrada: arquitectura e música em questão (1998) e de Lídia Tauleigne Roque, Arquitectura e Música, Uma Visão Estruturalista (2008), além da pesquisa da autora Maria do Céu, Arquitectura, Música e Acústica no Portugal Contemporâneo (2005).

Save

Save

Anri Sala

O trabalho do artista albanês Anri Sala, nascido em 1974, sempre girou em torno do tema sobre como o som e a música podem estar engajados na criação de imagens em movimento e a sua relação com a arquitetura, idéia que pode ser vista logo em seus primeiros vídeos da década de 1990, quando através da utilização de estratégias documentais ele examinou a experiência da vida diária em seu país após a queda do comunismo. Ele afirma:

“Um artista deve mostrar as coisas que estão acontecendo em torno dele, no mesmo momento em que elas estão ocorrendo. Ele deve contribuir para criar uma consciência plena do tempo em que ele está vivendo.”

Sala estudou pintura na Academia Nacional de Belas Artes em Tirana e depois se mudou para Paris e Berlim, desenvolvendo sua carreira internacional.

Nos últimos dez anos, o artista tem incluido músicos em seus filmes e também nas apresentações ao vivo de suas instalações. Os músicos entoam requiems para as histórias latentes na arquitetura a sua volta, que amplifica os sons e ajuda a divagar sobre emoções e sensações, como o estado de alienação.

Como exemplo, podemos citar as obras:

Se você se interessa pelo tema de instalações artísticas e sua relação com a arquitetura, pode ser interessante estudar um pouco mais sobre a vida e obra deste artista 😉

Fonte da imagem: http://www.macm.org/en/expositions/anri-sala/

Save

Save

Save

Xenakis – Arquitetura de Sons, 5 e 6 de novembro

14947435_886308938137260_7195268959613568211_n

Xenakis – Arquitetura de Sons. Dias 05 e 06 de novembro de 2016, no Instituto de Artes da UNESP, em São Paulo.

Programação:

Dia 5 de Novembro

13:45 – ABERTURA –
Carlos Stasi [UNESP], Ricardo Bologna [USP]
e Fernando Hashimoto [UNICAMP]

14:00 – MESA REDONDA –
“Mito, escritura e expressividade na música de Iannis Xenakis” –
com José Leonardo [UNESP], Leonardo Martinelli [UNESP],
Fábio Miguel [UNESP] e Rafael Dalchau [UNESP]

16:30 – PALESTRA DE ARTHUR RINALDI –
“O Discurso Musical em Xenakis”

20:00 – CONCERTO I –
1. Kassandra (1987)
para voz amplificada, saltério e percussão
Rafael Dalchau (percussão) e Fábio Miguel (voz) [UNESP]
Projeção: Andressa Daniella [UNESP]
2. Okho (1989)
para 3 djembes
Grupo PIAP – UNESP
3. Pléïades (1979)*
para 6 percussionistas
IV – Peaux
Grupo PIAP – UNESP

Dia 6 de Novembro

14:00 – MASTERCLASS COM RICARDO BOLOGNA [USP]
Psappha (1975)

16:30 – PALESTRA DE FLO MENEZES [UNESP]
“Célula em crescimento em ‘Metastaseis’: a lupa cromática de Xenakis”

20:00 – CONCERTO II
1. Psappha (1975) – percussão solo
Ricardo Bologna [USP]
2. Rebonds (1987-89) – percussão solo
Fernando Hashimoto [UNICAMP]
3. Persephassa (1969) para 6 percussionistas
Grupo Percussivo-USP
Direção: Ricardo Bologna

* Metrônomo eletrônico gentilmente cedido pelo
Grupo de Percussão da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais

Entrada franca

Save

“Dialogues” – David e Peter Adjaye

O arquiteto David Adjaye e seu irmão Peter, compositor e musicista, lançam um álbum em vinil  intitulado Dialogues. O álbum apresenta uma série respostas sonoras de Peter aos projetos de David. Segundo Peter:

“Quando vejo arquitetura, escuto sons — respondo ao visual. David responde ao som — ele cria com uma trilha sonora em sua mente”

Os irmãos trabalham em conjunto há mais de uma década. Conforme reportagem publicada pelo site ArchDaily Brasil, essa parceria teria se iniciado formalmente em 2003, quando Peter compôs a trilha sonora Echoes, para a obra de David chamada Asymmetric Chamber, instalada na galeria Cube em Manchester. O resultado deste trabalho foi baseado na questão da reciprocidade, com o som e o projeto interagindo e sobrepondo-se. Para o compositor,

David “desenhou uma imagem de como o som deveria parecer. Eu voltei com uma trilha sonora no dia seguinte.”

O álbum foi lançado em 8 de julho, e você pode ouvir as 10 faixas aqui.

Além de vídeos de cada faixa postados no YouTube, Peter oferece explicações descritivas do modo como traduziu cada obra de arquitetura em som, com algumas “ecoando diretamente a estrutura na música” e algumas recriado um sentimento ou sensação.

Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/790388/david-adjaye-e-seu-irmao-mesclam-musica-e-arquitetura-em-um-novo

Canal oficial no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCHIzaX0U7Pm_XKnhdhn5Q5w